20/10/2017 admin

POR QUE OS SÓCIOS QUE EXERCEM ATIVIDADE NA EMPRESA SÃO OBRIGADOS A TER PRÓ-LABORE?

O pagamento de pró-labore é obrigatório para todos os sócios que exercem atividade em uma empresa e sobre esse montante incide contribuição previdenciária. O entendimento da Receita Federal está na Solução de Consulta nº. 120, da Coordenação-Geral de Tributação (Cosit), publicada no Diário Oficial da União.

Para o Fisco, a discriminação do pró-labore é necessária e obrigatória, de forma que não se confunda com parcela referente à participação nos lucros (antecipado ou não). Se não for feita, há o risco de todo o montante ser tributado pelo órgão.

Isso quer dizer que os valores pagos são rendimentos gerados pelo trabalho e, portanto, o sócio deve ser considerado um contribuinte obrigatório do INSS. Na prática significa que o chamado sócio de serviço terá, necessariamente, que receber pró-labore independentemente do lucro. A situação é diferente da dos sócios de capital (investidores), que não têm o desconto e recebem somente a participação nos lucros.

Não há lei que limite quanto um sócio que presta serviços à empresa deve receber como pró-labore. Isso é acordado pela própria companhia. Mas existe a base de um salário mínimo, que é o que a legislação prevê para que haja incidência de contribuição previdenciária. Ele recebe esse valor, com o desconto da arrecadação, e pode receber a sua parcela referente à participação nos lucros de forma integral, da mesma forma como o sócio de capital.

A receita deixa claro que a legislação obriga que esteja discriminado na contabilidade da empresa os dois tipos de remunerações pois, ao não fazer isso, a Receita vai entender que tudo o que o sócio recebeu é pró-labore e a contribuição incidirá sobre o total.

ENTRE EM CONTATO

Fique à vontade para entrar em contato comigo para
tirar dúvidas ou fazer um orçamento.